Adoçante zero pode aumentar risco de ataque cardíaco e derrame

Publicado por: Redação
13/03/2023 11:14:46
Exibições: 90
Cortesia Editorial Pixabay
Cortesia Editorial Pixabay

Um substituto do açúcar chamado eritritol tem sido associado à coagulação do sangue, derrame, ataque cardíaco e morte, de acordo com um novo estudo.

 

Nesta investigação, publicada recentemente na Nature Medicine, os especialistas detetaram uma relação entre problemas cardiovasculares e a concentração de eritritol no sangue.

 

Esta conclusão é apoiada por trabalho de laboratório realizado com animais e por testes a amostras de sangue humano, que revelaram que o edulcorante pode aumentar a probabilidade de coágulos no sangue, avançou o New Scientist.

 

Como o sorbitol e o xilitol, o eritritol é um álcool de açúcar, um hidrato de carbono encontrado naturalmente em muitas frutas e vegetais e pode também ser produzido naturalmente no nosso corpo. Tem cerca de 70% da doçura do açúcar e é considerado zero caloria.

 

Mas o eritritol está a ser adicionado a tantos alimentos que algumas pessoas têm níveis dessa substância no sangue muito mais elevados do que aconteceria naturalmente, disse Stanley Hazen, diretor do Centro de Diagnóstico e Prevenção Cardiovascular do Cleveland Clinic Lerner Research Institute, nos Estados Unidos.

 

O eritritol é um ingrediente cada vez mais comum em bebidas e alimentos que são comercializados para a perda de peso ou para dietas de baixo teor de hidratos de carbono. “É um dos adoçantes artificiais de mais rápido crescimento”, disse Hazen.

 

A equipe começou a investigar os efeitos do eritritol através de análises a amostras de sangue realizadas em dois estudos anteriores. Os dois estudos analisaram pessoas que se encontravam em risco devido a fatores de saúde, como o excesso de peso ou a diabetes. Um continha cerca de 2100 norte-americanos e o outro 830 europeus.

 

Hazen e os seus colegas descobriram que as pessoas com os níveis mais elevados de eritritol tinham um ou mais risco de ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral (AVC), ao longo de três anos. O risco duplicava entre os dois grupos.

 

Devido à metodologia, os estudos não provaram que o eritritol estava causando um aumento do risco – outro fator poderia explicar a relação. Devido a isso, a equipe explorou de seguida os efeitos do eritritol no sangue, uma vez que tanto os ataques cardíacos como os AVC podem ser causados pela formação de coágulos.

 

Quando oito voluntários considerados de baixo risco consumiram alimentos e bebidas que continham 30 gramas de eritritol, os seus níveis de edulcorante no sangue saltaram de cerca de 4 micromoles para cerca de 6000 micromoles, permanecendo elevados durante várias horas.

 

Durante a investigação, descobriram ainda que o eritritol promove a formação de coágulos em ratos e também quando adicionado a amostras de sangue humano. “Isto sugere que o eritritol não é apenas um espetcador inocente, está causando diretamente um aumento na rectividade das plaquetas sanguíneas”, referiu Hazen.

 

Duane Mellor, porta-voz da British Dietetic Association, informou que a maioria das pessoas não estaria comendo quantidades suficientes para atingir os níveis testados neste estudo.

 

Os resultados não devem fazer com que as pessoas deixem de consumir alimentos e bebidas com o edulcorante. “Precisamos de reduzir o nosso consumo de açúcar”, indicou igualmente.

 

Com informações da Agência LUSA ZAP

 

 

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags:

Mais vídeos relacionados