Bolsonaro já fala em eleições fraudulentas | TVFORTALEZA.com.br Mobile Television Network

Trump & Co. podem ajudar a vender a história   Por Daniel Costa As sondagens não são animadoras e paira o risco de Jair Bolsonaro não ser reconduzido para um segundo mandato. O Presidente brasileiro já fala em fraude eleitoral e pode contar com a ajuda...

pólitica, eleição, moro, presidenciavel

Bolsonaro já fala em eleições fraudulentas

Publicado por: Redação
15/11/2021 12:09:50

Trump & Co. podem ajudar a vender a história

 

Por Daniel Costa

As sondagens não são animadoras e paira o risco de Jair Bolsonaro não ser reconduzido para um segundo mandato. O Presidente brasileiro já fala em fraude eleitoral e pode contar com a ajuda de Donald Trump e dos seus apoiantes para vender esta história. A popularidade de Jair Bolsonaro está em decadência. A mais recente sondagem da Genial/Quaest, citada pela revista Veja, dá conta que o Presidente brasileiro vive o seu pior momento eleitoral.

 

A rejeição ao Governo subiu de 45% para 56% entre os meses de agosto e novembro. Por sua vez, a aprovação caiu de 26% para 19% no mesmo período. A sondagem revela ainda que 69% dos brasileiros acreditam que Bolsonaro não merece continuar a ser Presidente.

 

As eleições presidenciais de 2022 aproximam-se e há outros dois nomes — além de Lula da Silva — que começam a ganhar força. Ciro Gomes, que já confirmou a sua intenção de disputar o cargo, e Sergio Moro, que se filiou ao Podemos esta semana.

 

“Chega de corrupção, mensalão, petrolão, rachadinha e orçamento secreto”, disse Moro, acrescentando querer “proteger a família brasileira contra a violência, a desagregação e as drogas que ameaçam as nossas crianças, jovens e adultos”.

 

Enquanto isso, o ex-Presidente dos EUA Donald Trump e os seus aliados estão a exportar a sua estratégia para o Brasil, trabalhando para apoiar a candidatura de Bolsonaro e ajudando a semear a dúvida no processo eleitoral caso este perca, avança o The New York Times.

 

O jornal norte-americano diz que estão a rotular os seus rivais políticos de criminosos e comunistas, a construir novas redes sociais onde possam fugir à “censura” que se dizem alvo, e a ampliar as suas alegações de que as eleições no Brasil serão fraudulentas.

 

O Brasil é de interesse dos EUA pela sua abundância em recursos naturais e por ser um mercado cativo para a nova rede social de Donald Trump. Do outro lado, Bolsonaro recebe de braços abertos o apoio dos apoiantes de Trump, que partilham a sua ideologia nacionalista.

 

“O Bolsonaro já está a pôr na cabeça das pessoas que não aceitará a eleição se perder”, disse David Nemer, professor brasileiro da Universidade da Virgínia, nos EUA. “No Brasil,isto pode ficar fora de controle”.

 

Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente brasileiro, insiste que as eleições brasileiras foram fraudulentas, contrariando conclusões de autoridades e investigadores. “Dizem que não posso provar que houve fraude. Tudo bem, mas vocês não podem provar que não houve”, disparou.

 

Nos Estados Unidos, a nova rede social de Trump é parcialmente financiada por um deputado brasileiro com ligações a Jair Bolsonaro. No Brasil, grupos de WhatsApp de apoiantes de Bolsonaro fazem circular vídeos de Tucker Carlson, o apresentador da FOX que apoiou o ataque ao Capitólio, no dia 6 de janeiro.

 

É uma espécie de quid pro quo que mostra a relação entre Trump e Bolsonaro e como esta pode afetar o xadrez político no país sul-americano.

Originalmente Publicado por: Planeta ZAP

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar