Bolsonaro afirma que o Brasil é o 6º país do mundo em vacinação e em breve estará entre os primeiríssimos no ranking? De onde ele tirou isso? | TVFORTALEZA.com.br 100% Internet

Advogado Cearense responde pergunta de internet e desmente Bolsonaro   Por Ygor Coelho   Não demorou muito para pessoas irem atrás dos dados e lançarem vários textos que desmentem a afirmação (ou seria melhor dizer bravata?) do Presidente Bolsonaro, qu...

noticias, reportagens, jornalismo, vídeo, documentário

Bolsonaro afirma que o Brasil é o 6º país do mundo em vacinação e em breve estará entre os primeiríssimos no ranking? De onde ele tirou isso?

Publicado por: Redação
03/02/2021 11:12:47
Agencia Brasil
Agencia Brasil

Advogado Cearense responde pergunta de internet e desmente Bolsonaro

 

Não demorou muito para pessoas irem atrás dos dados e lançarem vários textos que desmentem a afirmação (ou seria melhor dizer bravata?) do Presidente Bolsonaro, que como sempre joga para uma plateia que ele sabe muito bem que não vai se dar ao trabalho de ir direto nas fontes confirmar por si própria se o que ele disse é verídico e que, mesmo que o faça e não encontre a desejada corroboração dos dados ou fatos, decidirá, em grandes números, que há alguma espécie de engano ou até de conluio maldoso para esconder a verdade que só um seleto grupo em que se inclui o Presidente sabe e revela para o povo.

 

Falo de artigos com referências e fontes como este: Fake: Contrariando Bolsonaro, Brasil não é 6º país com mais vacinados

 

No entanto, nós podemos tirar a prova do que Bolsonaro disse por conta própria, temos acesso aos mesmos bancos de dados amplamente utilizados pelas mídias e até por instituições governamentais e tidos como críveis e imparciais, como o Worldometers e especialmente o Our World in Data.

 

Observemos, em formato de tabela, os dados acerca do número de vacinações do Brasil em relação ao de todos os outros países que já começaram a vacinação, algo disponível a qualquer um no próprio site do Our World in Data dedicado especialmente à pandemia do coronavírus – Coronavirus (COVID-19) Vaccinations - Statistics and Research - Our World in Data.

 

O Brasil não aparece em 6º lugar nem mesmo em número absoluto de doses da vacina já administrados, o que é (ou deveria ser pelo menos) relativamente fácil para o Brasil alcançar, tendo em vista que temos a 6ª maior população do mundo e a 8ª maior economia em PPC (paridade de poder de compra).

 

Aqui está a tabela que vocês próprios podem formatar e visualizar no link supracitado. Fiz uma edição por minha própria conta para facilitar a análise da tabela, marcando em azul-marinho as regiões transnacionais ou continentes que constam da tabela para que sejam excluídas da comparação tão somente entre países soberanos, e acrescendo a posição de cada país no ranking.

 

Fonte: Coronavirus (COVID-19) Vaccinations - Statistics and Research - Our World in Data

 

Fica nítido que o Brasil está na verdade em 13º lugar atualmente (26 de janeiro de 2021) em número absoluto de doses de vacina aplicadas. Mesmo países muitíssimo menores que o Brasil, como Israel e Emirados Árabes, já vacinaram mais gente que o Brasil, e também a lista à nossa frente inclui alguns países não exatamente muito ricos, como China, Índia, Turquia e Rússia.

 

Ademais, é claro que, se o Brasil não está nem entre os primeiros países no ranking por número total de doses administradas contra a covid-19, ele estará muito mais embaixo ainda no ranking por percentual da população que já foi vacinado, e é isso que podemos ver quando utilizamos a mesma tabela, mas optando por números proporcionais (porcentagem) em vez de absolutos.

 

 

Em termos proporcionais, o Brasil está em 46º de 53 nações independentes que já começaram a vacinação contra a covid-19. Estamos ainda atrás de países bem populosos, como Estados Unidos, China, Alemanha, Turquia e México, e também abaixo do percentual médio mundial (0,40% frente 0,89%).

 

Já quanto ao Brasil estar brevemente entre os países com mais vacinados no mundo (o que, repito, não é em si grande notícia quando lembramos que nossa população é em si tão imensa), eu espero muito isso, mas não acho que se concretizará tão cedo assim.

 

O Brasil está vacinando em voos de galinha, que é uma especialidade nossa em muita coisa, sobretudo no crescimento econômico: recebe um punhado de vacinas aqui, aplica o imunizante em um bocado de gente, depois aguarda com um tanto incerteza, recebe mais umas vacinas, repete o mesmo processo, acabam-se os estoques disponíveis, aguarda então mais um tanto, novamente sem ter nenhuma exatidão quanto a cronogramas, data prevista de entrega, quantitativos, etc.

 

Faltou ao governo do Brasil deixar de antemão, com uma antecedência muito mais razoável, bem fechados e organizados todos os negócios de aquisição de insumos e vacinas junto a uma grande quantidade de fornecedores diferentes, de modo que não dependêssemos apenas de uma ou duas empresas (basicamente Sinovac chinesa e a Astrazeneca anglo-sueca com produção terceirizada para a Serum indiana), as quais também pretendem fornecer suas mercadorias a outros países, inclusive e máxime o próprio país no qual possuem suas sedes.

 

Se outros países, tendo realizado contratos de compra e venda já firmados há meses, e não só agora, bem de última hora, estão encontrando mil dificuldades para receber todas as dezenas de milhões de doses de que necessitam para já, não creio que o caminho será muito mais desimpedido para o Brasil, até porque, até agora, não tem sido assim, e mesmo após semanas de muita pressão de todas as partes o Brasil inteiro acumulou somente 8,9 milhões de doses[1] , o que será suficiente para não mais que 4,45 milhões ou míseros 2,1% da população brasileira.

 

Notas de rodapé

 
 
Originalmente Publicado por: QUORA

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Vídeos relacionados